Uma jovem de 22 anos, que foi detida por atirar na cabeça da própria mãe, na noite de domingo (13), prestou depoimento nesta segunda-feira (14). O pai da moça, dono da arma, também foi ouvido pela polícia e tenta provar que o tiro teria sido acidental.

“Eu pedi para minha filha pegar a minha arma que estava debaixo da cama, porque eu iria sair para caçar as 22h. Quando ela foi me entregar a arma, ela acabou disparando sem querer”, disse Amsterdam de Alcantara Marques, 51, pai de Escarlet Oliveira Marques, que foi detida.

Segundo Amsterdam, ele estava ao lado da esposa Felicerda Batista de Oliveira, 46, quando o tiro atingiu a cabeça da vítima.

“Eu estava do lado da minha esposa, não houve briga. Quando a arma disparou veio pólvora no meu rosto, mas o chumbo foi todo na mãe dela”, disse.

O homem disse ainda, que ao ver a esposa morta, entrou em desespero e ligou para polícia pedindo ajuda. “Eu e minha filha gritamos e choramos muito. Ela não matou a mãe porque quis, foi um acidente”, lamentou.