As vítimas eram pioneiras em Parauapebas | Acervo Pessoal

Um casal de idosos foi assassinado brutalmente na chácara de propriedade deles, localizada na comunidade conhecida como Barra do Cedro, na zona rural de Parauapebas, sudeste paraense.

Os corpos foram encontrados na manhã desta quarta-feira (12), pelo caseiro que todos os dias tomava café com o casal. As vítimas haviam ido para a chácara para tentar se refugiar do novo coronavírus, mas acabaram encontrando a morte.

Arlindo Setubal dos Santos, 56 anos, e Francisca Lucirene Alves do Nascimento, 65, provavelmente foram assassinadas na noite de terça-feira (11) ou madrugada de quarta (12).  Eles foram mortos com tiros na cabeça.

Cápsulas de pistola 380 e revólver foram encontrados no local do crime. Segundo informações levantadas pela polícia, o caseiro estranhou o fato de ter chamado o casal e não ter obtido respostas.

Ao entrar na casa o homem seguiu até o quarto dos patrões, quando se deparou com os corpos das vítimas no chão. Arlindo estava amarrado com as mãos para trás e a esposa ao lado, com a cabeça em um travesseiro.

Policiais civis estiveram na chácara realizando os primeiros levantamentos do crime. Equipe do CPC “Renato Chaves” também esteve no local para realizar trabalho de perícia. 

Das vítimas nada teria sido levado. Mas, os policiais obtiveram informações de que o casal teve um desentendimento recente com um ex-funcionário, pois havia desaparecido 29 cabeças de gado.

O homem, que não teve a identidade revelada, foi detido por posse ilegal de arma de fogo, uma vez que uma espingarda foi encontrada em poder dele. 

As vítimas eram bastante conhecidas, pois eram pioneiras em Parauapebas. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil para se chegar à autoria e motivação dos assassinatos.