O secretário de Saúde de Marabá, sudeste do Pará, afirma que o município está com a pandemia de Covid-19 se estabilizando. Segundo Valmir Moura, a situação ficou mais “tranquila” neste mês de julho, mas “não significa que a doença acabou. O vírus ainda não foi embora”.

O município já está em uma abertura gradual das atividades econômicas, com comércio de rua já funcionando. Os bares poderão retornar a partir da próxima segunda (20), podendo funcionar até 23h e passando por fiscalizações da vigilância sanitária. “Vamos passar orientando. Na segunda infração constatada, já deve ocorrer notificações e, na terceira, a interdição do bar que estiver descumprindo as medidas”, explica o diretor da Vigilância Sanitária municipal, Daniel Soares.

Marabá registra, até então, 5.199 mil infectados, 154 mortes e 4.942 recuperados. Em maio, considerado pela secretaria pico da doença na região, o município chegou a registrar 15 mortes por semana e o Hospital Municipal chegou a ficar sem leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para pacientes com sintomas do novo coronavírus.

À época, o hospital tinha os nove respiradores ocupados e a Justiça chegou a determinar instalação de novos leitos. Mas o cenário mudou. Nesta sexta, a movimentação na unidade diminuiu.

Mesmo com a estabilização, o secretario de Saúde do município disse estar preocupado com o encerramento do contrato do hospital de campanha, montado pelo governo estadual, que deve encerrar em agosto. “Se ele sai neste momento, tira a retaguarda na região, e vai criar um sobrepeso sobre o município”, afirma Moura.

De acordo com a secretaria, a taxa de ocupação dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 na rede pública está com 46 pacientes internados, sendo que 7 são de Marabá e 39 vieram de municípios vizinhos.