De acordo com a Agência Nacional do Petróleo (ANP) a partir do dia 3 de agosto o Brasil terá um novo tipo de gasolina a ser comercializada em todo o país. As mudanças irão acontecer na gasolina tipo C (comum) e premium e terão o objetivo de trazer mais qualidade ao combustível, o que deixará os carros mais eficientes, reduzindo o consumo e emissão de poluentes.

Em contrapartida, o litro da gasolina vai ficar mais caro, mas a Petrobras ainda não tem uma estimativa de quanto será o reajuste. Segundo a diretora da Petrobras, Anelise Lara, “em termos finais de custo, acreditamos que será mais positivo, porque poderá rodar mais com menos”.

Ou seja, apesar de o motorista pagar mais pelo combustível, o veículo rodará mais quilômetros com um litro de gasolina.

O que há de novo

A nova gasolina terá a introdução de uma massa específica mínima de 715 kg/m³ para a gasolina. Essa massa significa a quantidade de uma substância em determinado volume. Essa regulação será inédita no Brasil, já que não existe uma especificação mínima estabelecida.

Outra novidade é a adoção de um novo padrão na contagem da octanagem da gasolina. O octano é o nível de resistência à combustão dentro do motor.

Everton Lopes, mentor de tecnologia em energia da SAE Brasil (Sociedade de Engenheiros da Mobilidade), explica que “Quanto maior a quantidade de octanos, mais resistente o combustível é à queima, e mais próximo do melhor nível de eficiência ele vai estar”.