Hoje, dia 12 de maio, comemora-se o Dia do Enfermeiro. Curiosamente, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) acaba de divulgar a distribuição de leitos de UTI, médicos e de enfermeiros em várias partes do Brasil. O Pará tem o menor índice de enfermeiros: 76. Em seguida estão Alagoas e Goiás, com 101, Sergipe com 102, e Amazonas com 103 profissionais por 100 mil habitantes.

Também está localizada no Pará a região polarizada por uma cidade referência no atendimento regional com o menor índice de enfermeiros entre aquelas com mais de 200 mil habitantes: Marabá tem índice de 65 profissionais por 100 mil habitantes. Além disso, a região de Belém deve ser destacada dada a sua população de 3,6 milhões de pessoas associada a um índice de 84 enfermeiros a cada 100 mil habitantes.

A distribuição de enfermeiros também é maior no Distrito Federal. São 198 profissionais por 100 mil habitantes. Tocantins (178), Paraíba (149), São Paulo (143), Rio de Janeiro (140) e Rio Grande do Sul (138) também se destacam na comparação.

Os dados são de 2019 e foram gerados em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), para contribuir com as ações de enfrentamento à Covid-19. As informações estão disponíveis para consulta em mapas interativos do hotsite covid19.ibge.gov.br.

O levantamento partiu do Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde 2019 (DataSUS), que reúne as redes pública e privada, e das Informações de Deslocamento para Serviços de Saúde 2018, cujos dados foram antecipados pelo IBGE.

No hotsite também está disponível a distribuição de idosos e de domicílios adensados, aqueles com mais de três moradores por dormitório, com base nos dados do Censo Demográfico de 2010 e da publicação Arranjos Populacionais e Concentrações Urbanas do Brasil 2015. A população que vive nessas condições tem mais chances de contágio e os idosos compõem o grupo de risco da doença provocada pelo novo coronavírus.