A Polícia Civil do Pará realizou cumprimento de mandados de busca, apreensão e prisão nas regiões sudeste e oeste do Estado.

A operação “Dilúvio”, realizada em áreas urbanas e rurais de Monte Alegre e coordenada pela Superintendência Regional de Policia Civil do Baixo e Médio Amazonas, prendeu 14 pessoas, entre elas, quatro mulheres. Todos envolvidos no crime de tráfico de drogas.

Os 20 policiais civis e 27 militares do Batalhão de Monte Alegre também apreenderam drogas e quantia em dinheiro.

Em Tucuruí, a Operação “Mil Graus” cumpriu quatro mandados de busca e preensão e prendeu em flagrante uma pessoa pelo crime de tráfico de drogas. Também foram apreendidos telefones celulares, uma pequena quantidade de drogas e uma quantidade de dinheiro possivelmente relacionado com a venda dos entorpecentes.

Balanço: Somente em 2019, a Diretoria de Polícia do Interior realizou 2.816 operações. Em 2018, apenas 804 ações foram realizadas deste tipo.

O ano passado foi marcado também pelo aumento no número de prisões no Pará. Em 2019, foram 4.261 e em 2018, 2.167.

“Tivemos também um acréscimo no número de armas apreendidas. No ano passado foram 502. Em 2018, menos da metade. Isso mostra o quanto a Polícia Civil está trabalhando a favor da sociedade paraense não somente na capital e região metropolitana, o nosso esforço diário de garantir a segurança do cidadão contempla todo o estado do Pará”, informou o delegado-geral Alberto Teixeira.

Participaram da presente operação 17 Policiais Civis, da 15ª Seccional Urbana de Polícia Civil de Tucuruí, DEAM/DEACA, Depol de Breu Branco, e Superintendência da Regional do Lago.

A primeira fase da Operação “Mil Graus” foi deflagrada em 23 de novembro de 2019 e resultou na prisão de um dos principais fornecedores de drogas da cidade, conhecido por Coroa. Além da prisão do Coroa, à época foi apreendido na casa do traficante 1,5Kg de maconha prensada, 0,5Kg de Pedra de Oxi, e 400g de Pasta Base de Cocaína. Além disso, ele foi flagranteado, também, pela posse de uma Escopeta Calibre 12 de 02 canos.No município de Parauapebas, a Polícia Civil cumpriu mandado de prisão expedido pela 2ª Vara Criminal de Parauapebas em que o preso tem envolvimento na morte de um membro de uma facção criminosa ocorrida no dia 29 de agosto de 2019.

O suspeito considerado um dos líderes da facção criminosa no município de Parauapebas, tomou conhecimento do novo mandado de prisão por meio da Superintendência Regional do Xingu, nas dependências do presídio de Vitória do Xingu, onde já se estava preso pela prática de outros delitos.

Já em Itupiranga, a equipe de policiais da Delegacia de Conflitos Agrários (DECA) de Marabá, prendeu duas pessoas pela prática de crimes ambientais e porte e posse ilegal de arma de fogo, durante a Operação “Verdes Altos”. A prisão aconteceu após o recebimento de inúmeras denúncias de invasão de propriedade privada, disparos de armas de fogo e desmatamento de área de proteção ambiental. Ao chegar à fazenda Dois Corações, foi constatada a ocupação, além da prática de crimes como Porte Ilegal de Arma de Fogo, Posse Ilegal de Arma de Fogo, queimadas e derrubadas de área de mata, localizadas em Área de Proteção Ambiental. Ao desembarcarem das viaturas, as equipes se dividiram, quando de pronto flagraram um homem portando uma arma de fogo, tipo espingarda, momento em que foi dada voz de prisão em flagrante. Durante a ação também foi apreendida uma motosserra sem documentação autorizada para uso. Durante as diligências da segunda equipe, houve a prisão de outro homem que foi flagrado desmaiado em área de mata. Em seguida, foi apreendida uma segunda arma de fogo, longa, tipo espingarda, aparentemente calibre 20, que estava dentro de um barraco vazio. Ainda no decorrer da fiscalização, uma das equipes iniciou progressão a pé e no percurso de cerca de 7km foram visualizados e constatados, pelo menos oito focos de áreas de mata queimadas e derrubadas.

Ainda nesta sexta-feira (17) a Polícia Civil, através da Delegacia de Conflitos Agrários (DECA) de Altamira, em parceria com a Secretaria de Meio Ambiente e Turismo do Município de Altamira, realizou diligências rio Xingu, abordando embarcações e fiscalizando locais de produção de Piracema.

Em uma das abordagens foi apreendido aproximadamente 100 kg de peixe, a maioria Pacú (que se encontra em período defeso) e Tucunaré (tamanho inferior ao permitido). Os peixes foram encaminhados à SEMAT) para serem doados. O autor do delito irá responder pelo crime previsto no art. 34 da Lei 9.605/98 (Lei de Crimes Ambientais).