Por Igor Oliveira (SECOM)

A Polícia Civil alerta sobre os riscos de divulgar, nas redes sociais, boatos sobre o caso da mulher suspeita de sequestrar três crianças nos bairros do Marco, Barreiro e Cidade Nova, na última sexta-feira (17). 

“Nós entendemos o temor da população, pois envolve a segurança de crianças. Todos ficam preocupados, principalmente aqueles que têm filhos. Por isso, algumas pessoas não têm o devido cuidado na divulgação de informações e de fatos. Mas é preciso ter calma e atenção nesse momento para não cometer enganos, principalmente nas redes sociais”, observa o delegado-geral da Polícia Civil, Alberto Teixeira.

“Uma vítima nos procurou e foi feito um retrato falado da suspeita do crime. Se alguém notar a semelhança de uma pessoa com a imagem ou desconfiar da circulação de determinado carro, o que pedimos é que sejam anotadas informações como cor, tipo e placa do veículo e as características físicas dos ocupantes. E aí é preciso levar essas informações para a delegacia mais próxima, porque elas serão repassadas para a equipe responsável pela investigação”.

Quem divulga informações e imagens nas redes sociais acusando indevidamente uma pessoa pode cometer uma transgressão da lei. “Atribuir atitude criminosa a alguém é uma atitude séria. Se a pessoa for inocente, o responsável pela informação falsa pode responder na área criminal”, alerta o delegado.

Alberto Teixeira também observa que a divulgação de notícias falsas pode induzir o trabalho da polícia ao erro. “Toda informação que chega à nossa equipe de investigação é averiguada. Se existem várias ocorrências inconsistentes, que exigem nossa atenção, pode ser que a verdadeira informação demore a ser investigada”.

Quem tiver informações sobre a suspeita, existe a possibilidade de ligar para o Disque Denúncia – 181. Quem faz a ligação não precisa se identificar.