A Polícia Civil do Pará divulgou, nesta sexta-feira (20), em entrevista coletiva a jornalistas, o balanço das Operações “Reverso, Slot e Blackjack”, elas visam dar cumprimento a mandados de busca e apreensão e prisão preventiva. Presidida pelo delegado-geral Alberto Teixeira, a coletiva foi realizada na sede da Delegacia-Geral, em Belém. A operação Reverso ocorreu de forma simultânea em todo o Pará, tendo início no dia 13 de novembro de 2019, e será finalizada, no final da tarde desta sexta-feira (20). No total, foram efetuadas 307 prisões, sendo 64 realizadas nesta sexta-feira. A operação contou com um efetivo de 1016 policiais e 254 viaturas.Já as operações “Slot e Blackjack”, iniciada no mês de novembro, ocorreram em bairros da Grande Belém e deram cumprimento a mandados de busca e apreensão em estabelecimentos de exploração de atividades econômicas ilícitas com práticas não tributadas. 

A força-tarefa de combate a lavagem de dinheiro foi iniciada nesta quinta-feira (19) e segue nesta sexta-feira (20) com análise minuciosa dos materiais apreendidos. 

As operações Slot e Blackjack foram realizadas pelas equipes de policiais do Núcleo de Inteligência Policial (NIP) e pela Diretoria Estadual de Combate à Corrupção ( DECOR), sob comando do delegado Temmer Kayat do Núcleo de Inteligência Policial (NIP). Já a operação Reverso foi coordenada pelo delegado Hebert Renan, titular da Diretoria Estadual de Combate à Corrupção (DECOR).  

Durante a entrevista, o delegado-geral Alberto Teixeira explicou que as três operações (Reverso, Slot e Blackjack), tiveram início em novembro e se encerram nesta sexta-feira (20). Neste período foram realizadas variais ações policiais em todo o estado. 

“A operação Reverso teve como alvo os presos que são liberados por indulto, e por meio desta ação, a Policia Civil está devolvendo ao sistema penitenciário paraense ou colocando ao sistema os que tem mandados de prisão e estão nas ruas. Desta forma, o objetivo é diminuir os crimes contra o patrimônio, principalmente os que ocorrem nesta época de final de ano”, destacou o delegado-geral.        

Sobre as operações Slot e Blackjack o delegado-geral explica: “As operações Slot e Blackjack foram deflagradas visando combater algumas atividades ilícitas que exploram “Jogos de Azar” sob várias modalidades dentre elas: Caça níquel, jogo do bicho, etc. “Essa atividades ilícitas, de alguma forma, fomentam a criminalidade, que por sua vez em busca de territórios esses grupos acabam entrando em choque criando situações de homicídios, por conta das desavenças entre seus membros, além de que tal atividade sirva pra lavar dinheiro de outros crimes, como por exemplo, o trafico de drogas, assaltos etc.”, finalizou. 

Segundo o delegado Temmer Kayat do Núcleo de Inteligência Policial (NIP), as materialidades dos crimes, referente as atividades ilícitas praticada, foram todas coletadas nos locais das buscas e serão minuciosamente analisados dentro do Inquérito Policial (IPL). Sobre as residências onde foram cumpridos os mandados de busca O delegado Temmer ressalta “ Por meio das investigações ficou constatado que as residências onde ocorreram as buscas funcionavam como postos avançados das organizações criminosas, durante o mandado mais de 30 pessoas foram ouvidas só na data de ontem, e até o momento não foram realizada nenhuma prisão”. 

Sobre os mandados, o Diretoria Estadual de Combate à Corrupção ( DECOR), delegado Hebert Renan explicou, que os mandados são alimentados no sistemas da POLINTER (Serviço de Polícia Interestadual) da Policia Civil, onde cada delegacia verifica seus mandados via sistema e posteriormente tem o dever de cumprir tais mandados dentro de sua própria área. Sobre os critérios dos mandados o delegado salientou: “É realizado um levantamento por parte das equipes policiais das respectivas unidades que estão as ruas no dia-a-dia, cientes sobre as pessoas que podem serem presas, desta forma é realizada a busca no banco de dados e são efetuadas as prisões”. 

“Alguns desse mandados são cumpridos com o acusado ainda preso, isto é, cumprido sua pena, antes dele receber seu induto pelo crime cometido, já a maioria dos mandados são de pessoas que estão em liberdade, e a polícia obtém sucesso em suas capturas”, finalizou.

Polícia Civil